Motoboys

Entrou em vigor a partir do dia 1º de janeiro, a resolução do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) que torna obrigatório o uso de adesivo refletivo e o selo de certificação do Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro) nos capacetes de condutores de motocicletas. A resolução também proíbe a colocação de película nas viseiras ou a utilização de viseiras escuras durante a noite.

O objetivo é diminuir o número de acidentes, mas, pelo que se pode ver nas ruas, poucos estão preparados. Na cidade de São Paulo, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), morrem 380 motoqueiros por ano.

Uma situação muito comum no trânsito é o motorista querer mudar de faixa e não perceber que um motociclista está atrás. Um motoqueiro vestido com um colete reflexivo é mais fácil de se ver. O colete com faixas amarelas, que refletem a luz, será obrigatório para todos os motoboys.

O baú e o capacete também deverão ter as faixas que refletem a luz. Quem desobedecer as novas regras estará sujeito à multa de R$ 127,69 e a perda de cinco pontos na carteira. Além disso, a moto poderá ser retida até a regularização.

O presidente do Sindicato de Transporte por Motocicleta, Fernando Souza, acredita que as mudanças vão ajudar na segurança. “O próprio motorista de carro tem um ponto cego que ele não consegue ver o motociclista. Mas, com o colete de faixas refletivas, de longe você vai acabar identificando. Isso é uma norma internacional”, diz Souza.

Mesmo com a determinação já em vigor, muitos motociclistas estão correndo atrás da adequação somente agora, devido principalmente à falta de informação