O Novo Gol é um carro completamente novo. Ainda assim, é um Gol em sua essência. Não apenas por incorporar elementos de design da primeira geração do Gol, como a linha lateral – um desafio da área de Design para a Engenharia e a Manufatura –, ou ainda reviver as lanternas traseiras quadradas que marcaram o início da convivência do carro mais querido dos brasileiros com o seu público fiel.


O Novo Gol é robusto, seguro, um carro confiável e versátil – afinal , é um Gol. Mas está somando a isso um novo design moderno e arrojado, mais espaço interno, novos e sofisticados detalhes de acabamento, uma nova plataforma, novos motor e câmbio, e muita tecnologia. Exatamente como queria o cliente, em opiniões manifestadas em seis clínicas realizadas ao longo de quase dois anos – nunca, antes, uma pesquisa tão profunda havia sido feita pela Volkswagen do Brasil.

NOVO GOL CHEGA NAS VERSÕES 1.0, 1.6 E 1.6 POWER

O Novo Gol chega ao mercado nas versões 1.0 , 1.6 e Power 1.6, e com quatro portas. Para atender o cliente que valoriza o diferencial nos acabamento, há ainda a opção do módulo Trend para as versões 1.0 e 1.6. Todas trazem banco do motorista com regulagem de altura, cintos de segurança dianteiros com regulagem de altura, controle interno dos retrovisores, hodômetro e relógio digital, console, pára-sóis com espelho, porta-luvas, porta-malas revestido em carpete e tomada 12V, entre outros itens. Um defletor de ar traseiro (aerofólio) equipa igualmente todas as versões, uma vez que é estampado na porta traseira do veículo.

Por fora, o Novo Gol oferece de série pára-choques na cor do veículo e vidros verdes, além de rodas de aço 13” com pneus 175/70 R13 e supercalotas “Daytona” (Gol 1.0) e rodas de aço 14” com pneus 175/70 R14 e supercalotas “Silverstone” (Gol 1.6).

A novidade, disponível em todas as versões, é o imobilizador de motor Immo 4, de última geração e que estréia agora no Novo Gol, para oferecer mais segurança ao proprietário do veículo. As fechaduras das portas também são novas e mais protegidas, representando o que há de mais moderno hoje no Grupo Volkswagen: em caso de o cilindro da chave ser forçado por fora do carro, ele gira em falso sem abrir a porta e sem corromper o mecanismo, que volta a funcionar com a chave original.

Os motores são os novos VHT (Volkswagen High Torque) 1.0 Total Flex e 1.6 Total Flex, da família EA111, instalados na posição transversal, que proporcionam melhor desempenho e consumo reduzido de combustível, e ainda menor nível de emissões.

Consumo baixo e maior tanque de combustível

Graças à boa aerodinâmica, ao baixo peso (934 kg, para o 1.0, e 944 kg, para o 1.6) e à excelente motorização, o Novo Gol tem baixo consumo de combustível. Seguem abaixo os números deste consumo, medidos segundo as normas NBR 6601 e NBR 7024:

VHT 1.0
Urbano 14,1 km/l (gasolina) / 9,6 km/l (álcool)
Rodoviário 18,6 km/l (gasolina) / 12,6 km/l (álcool)

VHT 1.6
Urbano 13,1 km/l (gasolina) / 8,8 km/l (álcool)
Rodoviário 18,5 km/l (gasolina) / 12,4 km/l (álcool)

O consumo médio ponderado 55% rodoviário e 45% urbano (Peco) é:
1.0 16,1 km/l (gasolina) / 11,0 km/l (álcool)
1.6 15,5 km/l (gasolina) / 10,4 km/l (álcool)

Ainda assim, foi ampliada a capacidade do tanque de combustível, que agora tem 55 litros e tornou-se o maior da categoria (os concorrentes têm 50). Com essa combinação entre menor consumo e tanque maior , o Novo Gol ganhou maios autonomia de rodagem em todas as versões.

NOVO GOL OFERECE POSIÇÃO DE DIRIGIR MAIS ALTA E GANHO EM ESPAÇO INTERNO

No momento de criar o “package” (interior) do Novo Gol, os designers começaram pelo ponto “H” dianteiro, que indica a localização dos quadris dos ocupantes do banco em relação à carroceria: foi possível aumentá-lo em 29 mm. Na traseira, o mesmo ponto “H” foi colocado numa posição 11 mm mais elevada.

Combinada com a maior altura interna, a alteração nos pontos “H” proporcionou mais espaço para os passageiros, mesmo com a distância entre eixos 5 mm menor da nova plataforma. “Foi um trabalho minucioso, com grande efeito para os ocupantes do veículo”, diz Gerson Barone, gerente de Design e Package da Volkswagen do Brasil.

Com 2.465 mm, a distância entre eixos do Novo Gol é a maior da categoria. São também superiores à concorrência as bitolas dianteira e traseira. Um ganho apreciável, e que logo é notado pelo motorista, é a maior visibilidade.

Em resumo, em relação ao Gol atual, o maior espaço interno do Novo Gol se expressa por meio de:

– 7 mm para a cabeça no banco dianteiro;
– 19 mm para as pernas na frente;
– 17 mm para a cabeça no banco traseiro;
– 14 mm para as pernas no banco traseiro; e
– 44 mm para os joelhos também no banco traseiro.

Na versão Gol 1.6 Power, a direção é hidráulica de assistência regressiva de série, bem como o ajuste do volante em altura e profundidade, itens opcionais nas outras versões (Gol 1.0 e Gol 1.6).

Acelerador eletrônico evita solavancos

O Novo Gol oferece acelerador eletrônico em todas as suas versões. O movimento efetivo da borboleta de aceleração é controlado pelo módulo de comando eletrônico a partir de sinal elétrico enviado por um potenciômetro ligado ao pedal do acelerador.

Além da conhecida vantagem de maior suavidade de marcha, por ser impossível o motorista produzir trancos ao acelerar, o limite de rotação (6.500 rpm) é conseguido por fechamento da borboleta de aceleração, não por corte de injeção, como em muitos carros. O resultado é a eliminação total dos desagradáveis solavancos na situação de corte.

Em caso de pane no sistema — uma possibilidade remota — o motorista não precisa se preocupar. Existe uma função “leve-me para casa” no controle da borboleta que a mantém aberta, em posição fixa, tornando possível rodar com o veículo até uma concessionária Volkswagen.