As chuvas e a falta de conservação comprometem a qualidade do asfalto de ruas e estradas neste período do ano. O asfalto ruim potencializa o risco de acidentes já que a água pode esconder grandes buracos. Já é percebido um aumento considerável de clientes em centros automotivos à procura de alinhamento e balanceamento devido a essas surpresas inesperadas.

Outra parte dos veículos também muito prejudicada no período chuvoso é o sistema de escapamento. Os impactos e solavancos podem sobrecarregar o sistema de fixação do escapamento. Um coxim que se solta ou quebra, caso não seja trocado, pode comprometer não só o escapamento, como parachoque e assoalho. Para evitar o agravamento dos danos que vão ocasionar quebras maiores, é recomendável proceder a troca do elemento danificado imediatamente.

Com as chuvas o sistema de escapamento sofre também por conta da diferença de temperatura entre o ambiente e os tubos do escape. Esse choque térmico acelera o desgaste de peças.

É necessário que uma manutenção periódica seja feita, evitando preocupações e gastos futuros. “Quando o motorista notar alterações no nível de ruído do veículo, caracterizado por sopros de gases, chocalhos no catalisador, som estridente, ressonâncias ao trocar marchas, entre outras, e também quando sentir que o veículo está com baixo rendimento (amarrado) ou com excesso de consumo de combustível, é recomendável checar o sistema de escape”, explica o gerente de Engenharia e Qualidade da Mastra Escapamentos e Catalisadores, Valdecir Rebelatto.